ADE-PR: Associação de Divulgadores do Espiritismo do Paraná

Especial

Marca de nascença no menino Ian é evidência a favor da reencarnação. Assista o vídeo clicando aqui.

Artigos

A epidemia ideológica

Publicada em 17/07/2021, por Wilson Czerski

Evito tanto quanto possível me envolver em discussões estéreis. À discussão acadêmica – não que inclua essa no rol anterior – prefiro a atividade prática, pois é nela que invisto todo o meu tempo disponível. Não participo de listas, fóruns e nem facebook tenho.

Mas há certas coisas diante das quais não posso ficar calado. Li há poucas semanas num periódico online uma entrevista com uma famosa pedagoga e escritora espírita.

Suas declarações só me deixaram ainda mais convencido de que a polarização ideológica que assola o país já contaminou o Movimento Espírita. Ela não foi a primeira a se manifestar abertamente assumindo posição no espectro político sob o qual vivemos. 

Até aí, tudo normal. Não sou contra o envolvimento dos espíritas na política. Muito pelo contrário e já deixei bem claro isso em várias oportunidades. Todos têm o direito de manifestar suas ideias e opiniões. O problema está no modo de se manifestar ou no conteúdo da manifestação. No caso, fica explícita uma agressividade e intolerância para os que pensam diferente.

Para dar um exemplo, todo indivíduo que embarca no discurso de “presidente genocida” perde imediatamente o meu respeito. Diz uma bobagem que o mais simples dicionário desmente. Diz ela que se envergonha da parte do Movimento Espírita que apoiou ou apoia esse governo. Ao criticar a ‘direita’ usa todas as letras, porém, ao denunciar a sua posição, oculta-se por trás do termo “progressista”, outro alguém espalhando confusão com o significado dado à palavra por Allan Kardec e como ela vem sendo utilizada atualmente.

E para provar que os socialistas/comunistas estão chegando, leio em outro periódico destes alguém fazendo cópia e cola de uma apresentadora da Tv lamentando que na ação policial no Rio de Janeiro o Estado perdeu uma vida e a comunidade 29! De que comunidade estamos falando?

Pegando carona em outra expressão da moda, claro que todas as vidas importam, porém, alinhar-se ao STF que protege traficantes impedindo a polícia de atuar nos morros cariocas mostra para onde estamos indo.

Mas você quer mais? Pois, no mesmo periódico alguém se saiu com outra pérola. Disse um certo filósofo que “é possível fazer aproximações entre o Marxismo e o Espiritismo”. Como é que é? Pobre Allan Kardec! Ele não merece ouvir, lá de onde esteja, um absurdo desses. Logo, logo teremos o Espiritismo ateu.

Então coloco aqui algumas perguntinhas que esse pessoal deveria responder se é esse tipo de progressismo que eles pretendem ver implantado no Brasil e endossado pelo Espiritismo. Entretanto, antes, devo esclarecer que estou muito longe de concordar com tudo o que este governo faz ou o seu representante máximo diz ou se comporta. Mas não vou entrar na moda dos ditos intelectuais de esquerda e seus discursos de ódio, sejam eles quem forem, inclusive espíritas.

Então, vamos lá. A Doutrina Espírita, em sendo progressista, deve aplaudir os avanços legislativos pró-aborto? E quanto à liberação das drogas? Em nome de um Estado laico, devem ser proibidas as manifestações de fé e culto? Progressista significa apoiar e incentivar a ideologia de gênero? Na deterioração da educação, da infantil à universitária, passando pela erotização das crianças, desrespeito e violência contra os professores, orgias e consumo escancarado de drogas nas últimas? 

Progressista também não pode deixar de trabalhar pela destruição dos valores familiares, inclusive, sendo a favor do “poliamor”, pois, afinal, cada ser possui o seu livre-arbítrio sobre o qual ninguém pode interferir, não é mesmo? 

Ser progressista também inclui a vitimização de bandidos, contando com a leniência da justiça e consequentes privilégios sociais que suas vítimas nunca encontram. Uma sociedade em progresso é a que expropria o rico que trabalha, aniquilando a meritocracia para entregar de mão beijada para quem só espera as benesses do governo? Também é permitido afrontar o direito de propriedade, invadindo e destruindo aquilo que não lhe pertence?

Espírita progressista também deve aceitar e aplaudir o ativismo político do Judiciário e obrigatoriamente festejar compartilhamentos empolgados pelo orgulho LGBTQIA+?. Aliás, é bom não mexer com esses nossos irmãos, não é mesmo? Trata-se uma minoria não contente em ser respeitada e livre para fazer o que bem entende, mas desejosa de que os outros se convertam ao seu modo de vida. Estamos todos submetidos à ditadura do politicamente correto que impõe ser dever a defesa e e o elogio e proibido a discordância e a crítica.

Se entendi bem, o progressismo da Doutrina Espírita também deve aliar-se à ‘sublime’ arte de crianças apalpando homens nus, de um Cristo homossexual, de representações pictóricas de práticas sexuais com animais e tudo o mais em que o grotesco parece – mas nunca chega – ao ápice.

Ser espírita progressista para essa gente significa compactuar com a escandalosa corrupção que vicejou aqui dentro e financiou ditadores da pior espécie pelo mundo afora ao invés de investir recursos ao nosso povo. Silenciaram por todos esses anos, mas agora bradam sua fúria contra quem está tentando, aos trancos e barrancos, mesmo perseguido e amaldiçoado impiedosa e diariamente, promover a melhoria do país. 

Pois todas essas são bandeiras integrantes do manual do Moderno Socialismo. Marxismo Cultural, Foro de São Paulo, Nova Ordem Mundial, Agenda 2030! Tudo isso faz parte de um só pacote que querem nos empurrar goela abaixo. É o Socialismo que segue o ensinamento de Maquiavel: dividir para governar, ou melhor, para tomar o que legitimamente é seu, até seus filhos que não lhe devem mais obediência porque isso é mais uma forma de opressão.

Esse é o Socialismo/Comunismo que afundou a economia e matou milhões de pessoas pela perseguição política, fome e doença em tantos países ao longo de mais de um século. Não bastam os exemplos da Rússia, da China, de Cuba, da Venezuela? Então, olhem para a Argentina. A quem essas pessoas querem enganar? Só se for a si mesmas. E ainda se mascaram de democratas, acusando os outros de autoritarismo. 

O que devia envergonhar não é o conservandorismo de boa parte do Movimento Espírita defensora da família, da religião, da liberdade e dos cidadãos de Bem e, sim, a cegueira espiritual oculta por trás de belos diplomas em bibliotecas de esquerdistas. Esse vírus promete causar mais estragos do que o da Covod-19.

 

(*) Escritor, jornalista, produtor e apresentador de programa espírita na Tv.

 

 

ADE-PR © 2021 / Desenvolvido por Leandro Corso